Publié par : manuelsds | 7 juillet 2011

O PCP entregou hoje um projecto que visa aumentar o salário mínimo para 500 euros « imediatamente » e para 600 euros em 2013.

« Consideramos que esta medida não só é justa como absolutamente fundamental para a dinamização da nossa economia. O próprio Governo reconhece que temos um plano de emergência social para concretizar e, se estamos nesta situação, então, em primeira instância, temos de aumentar o salário mínimo nacional, que é fundamental para atacar os problemas de pobreza existente no país », sustentou Jorge Machado.

Segundo o deputado do PCP, será « inaceitável que o Governo dê o dito por não dito, não cumpra o que foi acordado [em concertação social] no que respeita à evolução do salário mínimo, que deveria já estar em 500 euros em 2011 ».

« Se o salário mínimo tivesse acompanhado sempre a evolução do índice de preços do consumidor até hoje, já em 2005 estaria em 500 euros. Portanto, temos mais de cinco anos de atraso relativamente a esta exigência de aumento do salário mínimo », apontou.

Interrogado se o PCP considera exequível um aumento do salário mínimo na actual conjuntura financeira do país, Jorge Machado contrapôs que o caminho proposto no memorando da troika « conduz a resultados desastrosos ».

O PCP entregou hoje um projecto que visa aumentar o salário mínimo para 500 euros « imediatamente » e para 600 euros em 2013.

Em conferência de imprensa, na Assembleia da República, o deputado comunista Jorge Machado referiu que o projecto de resolução da sua bancada visa a concretização de um compromisso eleitoral assumido pelo PCP no sentido de aumentar o salário mínimo para 500 euros « imediatamente » e em 2013 para os 600 euros.

« Se não bastasse o exemplo grego, bastaria ver a recente colocação da nossa dívida no nível de lixo. É preciso dar um murro na mesa e inverter as políticas, dinamizando a nossa economia por via do aumento do consumo e o salário mínimo tem esse papel fundamental », respondeu o deputado do PCP.

Jorge Machado frisou ainda que, quando o salário mínimo aumentou 25 euros, « teve um impacto nas empresas de 1,33 por cento ao nível dos custos de produção ».

« É um custo insignificante mas que afecta 500 mil trabalhadores », apontou.

Publicités

Laisser un commentaire

Entrez vos coordonnées ci-dessous ou cliquez sur une icône pour vous connecter:

Logo WordPress.com

Vous commentez à l'aide de votre compte WordPress.com. Déconnexion / Changer )

Image Twitter

Vous commentez à l'aide de votre compte Twitter. Déconnexion / Changer )

Photo Facebook

Vous commentez à l'aide de votre compte Facebook. Déconnexion / Changer )

Photo Google+

Vous commentez à l'aide de votre compte Google+. Déconnexion / Changer )

Connexion à %s

Catégories

%d blogueurs aiment cette page :