Publié par : manuelsds | 23 mai 2011

Precários Inflexíveis

Segunda-feira, 23 de Maio de 2011

Precários Inflexíveis: Grupo CRH assedia trabalhadores para que se despeçam no call center da PT em Coimbra.

Grupo CRH assedia trabalhadores para que se despeçam no call center da PT em Coimbra

Depois de noticiarmos a situação que se está neste momento a passar com os trabalhadores da empresa CRH, os Precários Inflexíveis reuniram com vários trabalhadores do call center da PT de Coimbra que nos deram mais dados sobre a situação de abuso que se vive nas instalações da PT. Apresentamos de seguida o comunicado de imprensa enviado hoje sobre a mesma situação.

Consideramos que esta é uma situação inadmissível por parte da CRH com o aval da PT, e exigimos, para já, que: mais nenhum trabalhador seja despedido, todos os trabalhadores sejam informados sobre o processo de insolvência da empresa, seja aberto um inquérito para perceber em que condições foram despedidos os trabalhadores para apurar responsabilidades e perceber se houve coacção.

Grupo CRH assedia trabalhadores para que se despeçam no call center da PT em Coimbra
Dezenas de trabalhadores do call center da PT Coimbra (o mesmo que é responsável pelo número de apoio ao cliente, 16200) estão a ser alvo de assédio moral brutal forçando-os ilegalmente a despedirem-se, sob ameaça de serem processados pela PT.
Esta situação ocorre desde que a empresa CRH entrou em processo de insolvência em Novembro do ano passado, e foi também nessa altura que a CRH se comprometeu em declarações ao jornal Público que não iria fazer qualquer despedimento.
A verdade é que a partir dessa data, segundo os relatos de várias trabalhadoras do call center de Coimbra, a pressão sobre os trabalhadores começou a aumentar: os trabalhadores são obrigados a assinar um banco de horas o qual é gozado de acordo com as vontades da empresa, são « convidados » a assinar documentos em que se comprometem a cumprir objectivos irreais (como por exemplo nunca errar), mas o mais grave de tudo é que muitos destes trabalhadores estão a ser forçados a despedir-se, abdicando de todos os seus direitos.
Dos relatos que nos são feitos por parte de vários trabalhadores, a situação ocorre impunemente dentro do call center, onde os trabalhadores são diariamente sujeitos a comentários humilhantes e a chantagens por parte dos encarregados. Muitos trabalhadores têm sido chamados e isolados numa sala com mais três encarregados (que servem de testemunhas ao processo de « despedimento »), estes obrigam-nos a rescindir o contrato, caso contrário instauram um processo-crime por parte da PT ao trabalhador.
Desta forma ilegal já foram despedidas várias dezenas de trabalhadores e a vaga de despedimentos continua todas as semanas. A Autoridade para as Condições do Trabalho já visitou o call center algumas vezes, mas sem nenhum efeito.
Os trabalhadores do call center de Coimbra e os Precários Inflexíveis denunciam a brutalidade que está a acontecer neste call center que: trabalha para uma das empresas mais lucrativas de Portugal, recorre a ilegalidades para não ter de pagar direitos aos trabalhadores, e que força despedimentos nas suas instalações.
Consideramos que esta é uma situação inadmissível por parte da CRH com o aval da PT, e exigimos, para já, que: mais nenhum trabalhador seja despedido, todos os trabalhadores sejam informados sobre o processo de insolvência da empresa, seja aberto um inquérito para perceber em que condições foram despedidos os trabalhadores para apurar responsabilidades e perceber se houve coacção.
Publicités

Laisser un commentaire

Entrez vos coordonnées ci-dessous ou cliquez sur une icône pour vous connecter:

Logo WordPress.com

Vous commentez à l'aide de votre compte WordPress.com. Déconnexion / Changer )

Image Twitter

Vous commentez à l'aide de votre compte Twitter. Déconnexion / Changer )

Photo Facebook

Vous commentez à l'aide de votre compte Facebook. Déconnexion / Changer )

Photo Google+

Vous commentez à l'aide de votre compte Google+. Déconnexion / Changer )

Connexion à %s

Catégories

%d blogueurs aiment cette page :